Projeto tem 10 anos e a responsabilidade mais barata (2/3)

A comunidade do Jardim Regina descobriu a ameaça há poucos dias atrás, já com o início das obras licenciadas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), segundo boca a boca em estágio 3.

Sobre o projeto de gabinete os moradores relatam não terem sido sequer informados. Não foram consultados durante os estudos preliminares e não souberam de audiências públicas para tratar do tema.

O lixo na cidade de Pindamonhangaba, atualmente, é encaminhado para CGR Tremembé. As obras do novo aterro estão acontecendo nas terras da empresa RENOVAR Saneamento Ambiental, já atuante em Pindamonhangaba.

 

 

Moradores relatam que o nome da empresa proprietária das terras muda, mas as pessoas físicas donas das empresas não.

Encontramos em documentos disponíveis no site da Prefeitura que, já em 2011 o Plano Municipal de Saneamento Básico já previa, entre as opções disponíveis, que um aterro seria construído no município por ser mais barato que o envio até a unidade regional de Tremembé .

Segundo os moradores, com o aterro sanitário em operação tem-se um alto risco de contaminação do solo e lençol freático. O impacto será direto, pois é possível visitar uma cachoeira à 790 metros de distância do local das obras.

 

Conversa com morador do local

Irrigado por Carlos Diego

Abaixo-assinado e requerimentos da comunidade do Jardim Regina (1/3)

Saiu na TV Regional do Vale do Paraíba (3/3)